RECEITA: Bolo de Banana da Diana

O Instagram está mandando ver nos perfis fitness e ajudando muita gente a entrar na dieta e a diversificar as refeições com receitas diversas!

Hoje a nossa receita também veio através do Instagram, é o Bolo de Banana da Diana, super fácil e prático de fazer.

Vamos aos ingredientes

4 ovos

2 xíc. De farelo de aveia

1 xíc. Uvas passas

½ xíc. Óleo d sua preferência

4 bananas

2 col (sopa) rasas de fermento

Canela

Modo de preparo

Bata os ovos, banana, óleo e passas no liquidificador, depois passa para um bowl e acrescente a aveia e canela, mexa bem, e por último, coloque o fermento.

Essa receita dá um bolo grande ou 12 a 15 muffins.

Decore os bolinhos com a sua criatividade: banana em rodelas, aveia, nuts….

Fonte: @comidinhasdadiana

Prática de exercícios físicos frequente pode ajudar a melhorar o desempenho nos estudos

A sua rotina é estudar, trabalho e academia? Pois bem, temos uma boa notícia para você! 

Um estudo realizado pela Faculdade Aliança, da Universidade Católica de Brasília, do Instituto Federal do Piauí e da Universidade Estadual do Piauí mostra que a prática de exercícios físicos ajuda a melhorar seu desempenho no período de provas constantes. 

Pesquisadores avaliaram o nível de estresse de 141 adolescentes entre 17 e 18 anos, e o estudo chegou à conclusão que a combinação de atividades físicas durante dez semanas, com a frequência de duas sessões de 60 minutos, executados em intensidade moderada foi capaz de reduzir os níveis de estresse dos estudantes. 

Pensando assim, a prática de exercícios físicos é considerada uma das medidas não medicamentosas mais eficazes para a saúde mental, ajudando a controlar a ansiedade e depressão, além é claro, de melhorar a capacidade cardiorrespiratória, as funções cognitivas e a qualidade do sono.

Lembrando que, descansar também faz parte do processo e é extremamente importante para fazer você se sentir bem e estar preparado para a rotina.

Praticar exercícios físicos 4 vezes na semana, pode reduzir a vontade de fumar e comer doce

Um estudo realizado pela Universidade Western, no Canadá revelou que a endorfina e a serotonina liberadas no treino amenizam a dependência pelo cigarro. Foram 4 semanas malhando e estudando os participantes que disseram não sentir mais o mesmo desejo em fumar e até reduziram sua frequência.

Ou seja, novos hábitos podem te ajudar a parar de fumar e a diminuir o desejo por doce, além é claro de ter uma vida mais saudável. 

O neuropsicólogo Stanly Huang explica: ”Os exercícios liberam endorfina e serotonina, hormônios que combatem os sintomas da abstinência. Se a sua compulsão dor por doce, a atividade física também tende a beneficiá-la, pois melhora a absorção do açúcar, amenizando a necessidade de guloseimas.

Confira 5 alimentos ótimos para o pré treino

Quando falamos de treinos que demandam um esforço físico, precisamos falar também de uma alimentação que acompanha toda atividade executada. 

Um bom desempenho nos treinos precisa estar aliado a uma alimentação equilibrada antes e após as atividades. E nós vamos te ajudar com algumas dicas de alimentos que ajudam no pré treino. 

O ideal é consumir proteínas que contribuem para prevenir a lesão dos músculos e também para promover a hipertrofia muscular, além é claro, dos carboidratos que dão a energia necessária para realizar os exercícios.

Confira agora 5 alimentos indicados para o pré treino

  1. Banana: Rica em potássio, vitaminas e minerais a banana é uma boa fonte de energia
  2. Pão integral: Rico em carboidratos e fibras, o pão integral é uma opção rápida e fácil. Você pode preparar ele com queijo branco, peito de peru e alface.
  3. Aveia com frutas: Cereal rico em fibras, a aveia é uma ótima fonte de energia, ideal para equilibrar o açúcar do sangue.
  4. Castanhas: Podem ser de Cajú, do Pará, Portuguesa… as castanhas são ricas em vitamina E e ômega 3.
  5. Iogurte de frutas: Derivado do leite, rico em proteína, o iogurte junto com cereais, aveia ou castanhas, fornece energia para aumentar a performance no treino.

Setembro Amarelo: veja como exercícios e alimentação podem ajudar a combater a depressão

Vocês já devem saber que setembro é o mês da conscientização em relação ao suicídio, e a importância dessa causa é enorme!

Segundo dados recentes da Organização Pan Americana de Saúde (OPAS), o Brasil é o pais com mais pessoas ansiosas no mundo (18,6 milhões, um total de 9,3%). Além disso, um dos mais depressivos também: 11,5 milhões de brasileiros possuem este diagnóstico.

Mas você sabia que exercícios e alimentação também são ajudam –e muito- a melhorar o quadro de pessoas depressivas?

Vários estudos já comprovaram os benefícios das atividades físicas e da alimentação em pessoas com a doença. Os exercícios melhoram a qualidade do sono e acabam liberando hormônios importantes para a mente, além de promover a distração dos estímulos estressores, melhorando a qualidade de vida.

Outro benefício dos exercícios é que durante sua prática, o organismo libera dois hormônios essenciais que ajudam no tratamento da depressão, são eles: endorfina e a dopamina. Os dois têm influência no humor e nas emoções.

Já na alimentação, fica mais evidente sua influência, tudo o que a mente sente, o corpo também sente. Por isso é preciso cuidar dos dois!

Uma revisão de 16 estudos anteriores publicada em maio no Psychosomatic Medicine (e que envolveu mais de 46 mil pessoas) observou que qualquer melhora na alimentação alivia os sintomas depressivos. Seja em reduzir gorduras, cortar calorias ou simplesmente investir em comida mais nutritiva.

Confira a lista de alguns alimentos que favorecem esse processo de melhora

Proteínas
Aveia
Banana
Oleaginosas
Pimenta
Chocolate
Mel

Lembrando também que é indicado ir ao médico e ter um acompanhamento. Depressão é coisa séria e precisamos falar sobre isto.

Estamos todos juntos !

Atividade física na gravidez: é recomendado ou não?

Você já deve ter ouvido muito por aí que a mulher grávida não pode fazer atividades físicas, mas esse texto vai mudar o seu olhar para este fato, que é na verdade, um mito.

É cientificamente comprovado que os exercícios são fundamentais para a saúde da gestante e também do bebê, e esses exercícios podem ser feitos durante toda a gestação, inclusive no primeiro trimestre.

E quer saber mais? Os benefícios são inúmeros!

A mulher sedentária tem mais riscos de desenvolver diabetes gestacional, hipertensão, ganho de peso excessivo e consequentemente o bebe pode crescer muito, dificultando assim, o trabalho de parto.

Segundo a Sociedade de Ginecologistas e Obstetras do Canadá, o ideal é que a gestante faça, no mínimo, 150 minutos de exercícios durante uma semana, que podem ser distribuídos em três dias, ou seja, em três dias, a gestante pode fazer 50 minutos de atividades, ou, 3º minutos durante cinco dias da semana.

Mas atenção! É necessário a liberação do médico antes de começar as atividades, e exercícios de impacto e muito intensos não são recomendados, o ideal é equilibrar modalidades que combinem, como exercícios aeróbicos com outros que aprimorem a resistência.

E importante: Mulheres com ameaça de parto prematuro, colo curto, que tiveram ruptura da bolsa e perderam líquido, sangramentos durante a gravidez e placenta prévia, não devem fazer nenhum tipo de atividade física.

Tem alguma dúvida? Vem até o Fit4You e converse com nossos educadores físicos!

Você sabe qual é a proporção ideal de massa magra x gorda no corpo?

A gente te ajuda a entender melhor sobre esse assunto e também explicamos como é possível descobrir suas porcentagens. Confira!

Para começar, vamos entender o que é massa magra.
Pois bem, massa magra é uma combinação de músculos, ossos, tecidos moles e vísceras, ou seja, tudo o que não é gordura.

Por outro lado, a gordura é o que consideramos massa gorda.

Sabendo disso, o ideal é que tenhamos 30% mais massa muscular do que massa gorda. É importante também que a nossa gordura não ultrapasse 30% do nosso peso total. Mas isso também pode depender do sexo e da idade de cada um.

Caso essa porcentagem ultrapasse os 30%, há um risco de desenvolver obesidade, dando espaço para outras doenças como diabetes e doenças cardiovasculares.

Porém, lembre-se, ser magra também não significa que você esteja fora de perigo! É possível uma pessoa magra uma porcentagem alta de gordura, pois ela pode ter baixa massa muscular também.

Mas e aí, como vou saber a minha proporção?

É recomendado fazer uma avaliação física completa para saber os números exatos. Com algumas técnicas, como a bioimpedância, é possível avaliar quais partes do corpo precisam de uma forcinha extra.

Você pode fazer sua avaliação om os nossos educadores físicos!

Bora lá?

Dicas para iniciantes na musculação

Está pensando em começar a treinar musculação, mas não tem nenhuma direção de como dar o start que precisa? Vamos dar algumas dicas para os iniciantes nessa prática!

É importante saber que nos primeiros meses de treino, a dedicação e a forma correta de usar os aparelhos são dois fatores fundamentais para obter bons resultados.

         A primeira dica é não pular a fase de adaptação

Os músculos, tendões e ligamentos precisam de um período de 4 a 8 semanas para se adaptar aos novos estímulos de força.

Se pular esta etapa de adaptação, na qual os exercícios são mais leves, pode ocorrer lesões sérias no futuro.

Alguns profissionais recomendam que se faça o treino de adaptação. (Converse com nosso educador físico para ter mais informações desse treino)

  1. Comece a treinar nos aparelhos

Se você começar a treinar com pesos livres, as chances de você errar a postura e jogar todo esforço fora, é grande. Por isso, é aconselhável começar nos aparelhos para adquirir postura e melhorar a coordenação motora e neuromuscular, e aí, após um ou dois meses de treino, começar com os pesos livres.

  1. foque em alguns grupos musculares específicos

Os principais grupos musculares para trabalhar quando se está dando os primeiros passos na academia são:

Superiores: Peitoral / Dorsal / Deltoide / Bíceps / Tríceps

Core: Abs / Oblíquos / Paravertebral (musculatura inferior das costas)

Inferiores: Quadríceps / Glúteos / Isquiotibiais / Panturrilhas

É fundamental iniciar sempre uma sessão de treino com os grupos musculares maiores e depois passar para os menores.

  1. Priorize movimentos perfeitos e amplos

Como já citamos, é muito importante a execução perfeita dos movimentos, pois a prática correta vai preservar muito suas articulações.

Portanto, sempre peça ajuda dos nossos educadores físicos.

Feito isso, priorize movimentos mais amplos em relação aos movimentos curtos. Exercícios com amplitudes de movimento maiores recrutam mais unidades motoras e, consequentemente, as fibras musculares vão ganhar volume.

Já está se sentindo mais confidente e preparado para começar?

Estamos esperando por você!!

Muito além da batata doce: Confira outros alimentos indicados para o pré-treino

Continuando nossas comemorações de 4 anos da Fit4You, pedimos para a nossa nutricionista Ariane Sciorilli dar algumas dicas do que comer antes de ir treinar.

Antes de entrarmos no assunto, a nutricionista alerta: ‘’É preciso pensar em algumas coisas como: De quem estamos falando? Qual é o treino? Qual a duração e intensidade? Qual o objetivo do treino? Preferências e rotina também são pontos para levarmos em conta.’’

Por exemplo, algumas pessoas se sentem melhor treinando com mais comida, outras com menos e algumas até em jejum. Tudo precisa ser avaliado individualmente. A resposta na nutrição é sempre DEPENDE.

Vocês já estão familiarizados com a batata-doce, mas ela pode ser substituída por outros alimentos. Vamos conferir?

> Frutas com pasta de oleaginosas (ex: banana com pasta de amendoim)

> Shake proteico (ex: whey protein ou proteína vegetal com fruta)

> Proteína com carboidrato (ex: frango com batata doce OU atum com bolacha de arroz)

> Panquecas (ex: ovo + farinha nutritiva + fruta = panqueca de banana)

É ideal pensar na alimentação adequada ao longo do dia inteiro e não somente pre/pós treino. De nada vai adiantar tomar whey protein após o treino se a ingestão proteica do dia todo não for suficiente.

Para mais dúvidas, consulte um nutricionista!

Ariane Sciorilli
CRN: 55105

Interessante né? Agora já dá para variar nas receitas de pré treino, lembrando sempre que é muito importante um acompanhamento nutricional.

4 Mitos sobre a musculação

Entramos no mês do nosso aniversário! A Fit4You está comemorando no mês de agosto 4 anos e não poderíamos deixar de celebrar essa data, não é mesmo?

Para isso, separamos nas duas primeiras semanas do mês, um conteúdo especial envolvendo o número 4.

E para começar, vamos desmistificar 4 fatos da musculação. O tempo passou e novos estudos vieram à tona para nos mostrar novos hábitos e nos atualizar.

  1. Idosos, gestantes e crianças não podem treinar

Essa você provavelmente já ouviu bastante, né? Pois é, está na hora de tirar isso da sua cabeça.

No caso dos idosos, o passar do tempo causa da perda da massa óssea e muscular, e realizar atividades que respeitam os limites do corpo, mas que também trabalham o fortalecimento dos músculos, é imprescindível.

Nas gestantes, o mais importante é observar as limitações do organismo e ter um acompanhamento médico. É fundamental focar mais na saúde da mãe e do bebe do que a hipertrofia. Portando, lembre-se: limitações e acompanhamento médico.

Já nas crianças, o que se costuma dizer é que a prática da musculação interrompe o crescimento. Sabe –se que existe uma cartilagem chamada placa epifisária, que fica localizada na ponta dos ossos mais longos, e é responsável pelo crescimento. Quando há a realização de uma atividade com alta impacto, podem ocorrer lesões nessa cartilagem, retardando o processo de crescimento. No entanto, a musculação se pensada para cada faixa etária e bem tutorada, dificilmente causa traumas.

  1. Quanto mais repetição, mas você perde gordura e seca

Cuidado com esse tipo de informação!  Na verdade, o que define a perda de gordura ou o aumento da massa magra tem muito mais a ver com o tipo de alimentação. Como por exemplo dietas muito calóricas e ricas em proteínas, visam o crescimento dos músculos, já as com restrições de calorias garantem um corpo mais sequinho.

  1. Aeróbico queima mais do que treino de força

Mito! Na musculação aumentamos a massa magra, que consome mais energia para sua manutenção. Ou seja, você queima mais calorias para isso.

  1. A dor pós treino é acúmulo de ácido lático

Se você não sentiu uma dor desconfortante após um treino, você é privilegiado sim! Hahaha. O desconforto é real, mas as suas causas não passam de mito! A dor do dia seguinte ao treino nada mais é do que uma inflamação nas fibras musculares, muito relacionadas com o crescimento.